Ensinar a pensar

É necessário desenvolver nos alunos a capacidade de questionar, formular corretamente os problemas, construir hipóteses e identificar com rigor o objeto de pesquisa.
A expressão “literacia da informação”, que inicialmente se referia à pesquisa baseada no uso de documentos de referência, viu a sua definição ampliada com a evolução dos recursos e tecnologias. Literacias múltiplas, incluindo a digital, a visual, a textual e a tecnológica, uniram-se ao conceito de literacia da informação para constituírem competências essenciais neste século.

Informações sobre carga horária semanal causam confusão nas escolas

A confusão foi lançada com a publicação, sem aviso e sem contextualização legal, das matrizes curriculares dos ensinos básico e secundário, na página da Direcção-Geral da Educação. A DGE informa que as matrizes integram o Decreto-Lei “que estabelece os princípios orientadores da organização e gestão dos currículos”. A questão é que este documento ainda não existe.

O papel da web 2.0 na melhoria dos resultados da avaliação externa

Para atingir alguns dos objetivos propostos num plano de trabalho a 4 anos, foram delineadas ações que se consubstanciaram na planificação e concretização de um projeto de promoção da leitura e articulação curricular.
O projeto "Ler e envolver" é operacionalizado através do desenvolvimento de subprojetos, de acordo com os conteúdos curriculares das disciplinas, o nível de ensino e as características das turmas.

Um "Sim" ao francês

«Não é por acaso, também, que a aprendizagem da língua francesa progride em potências emergentes como a China, ou países africanos anglófonos ou lusófonos, conscientes das várias potencialidades ligadas ao francês.»


(Manifesto «Um 'Sim' ao francês» Jornal de Letras)


Suscreva o Manifesto em:http://www.apef.org.pt/


 

Páginas

Subscribe to Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença RSS